Atuação do Assistente social durante luto foi debatido

29/03/2011

Na última sexta-feira (25), estudantes e profissionais de Serviço Social participaram de uma palestra na Toledo Presidente Prudente.

A psicóloga Maria Helena Pereira Franco, que é pós-doutora pela Universidade de Londres (University College London), falou sobre o papel do profissional nos processos de adoecimento, morte e luto no Anfiteatro Cupertino das Faculdades Integradas Antônio Eufrásio de Toledo.

A palestrante ressaltou a importância do domínio deste assunto, que para ela, deveria ser tratado desde a preparação do profissional, seja o assistente social ou o psicólogo, no período acadêmico. “A sociedade evita comentar sobre doença e morte, chamamos de síndrome da pós-modernidade, onde as pessoas estão focadas em seu próprio sucesso e crescimento”, diz.

Maria Helena esclarece que a atuação do profissional vai de encontro a esta constatação, cujo auxílio e envolvimento nestas questões são de extrema importância em uma sociedade moderna, que sabe lidar cada vez menos com estas situações. “Faz parte de nossa vida, apesar de ser um assunto bastante evitado, pois as pessoas se esquecem que elas fazem parte de um ciclo, com começo, meio e fim e que todos nós passaremos por isso”, explica.

A especialista também esclareceu que a palestra teve objetivo não apenas de oferecer respostas para questões relacionadas com o enfrentamento de situação de doença e morte, mas também para deixar nas entrelinhas algumas perguntas para o público, para que cada um tire suas melhores conclusões sobre o assunto.

A palestra gratuita ‘Assistente social, usuário e família: ações preventivas no processo de adoecimento, morte e luto’ foi realizada pelo Grupo Athia e contou com o apoio da Toledo Presidente Prudente, por meio do curso de Serviço Social.